PANTEÍSMO

Panteísmo (do Grego “Pan”: tudo – “Theos”: Deus) é uma compreensão que identifica o Universo, a totalidade, o cosmos, como Deus. O Universo é entendido como sendo a própria divindade por possuir todo o poder criador, por ser infinito e eterno, transcendente, misterioso e onipresente.

Deus, o próprio Universo, é o conjunto de tudo o quanto existe, ou seja, cada galáxia, estrela, todo o desconhecido, incluindo o espaço e tempo, toda a matéria/energia no seu fluxo constante de transformação do qual nasce e morre sistemas solares, planetas, atmosferas, continentes e mares, florestas, plantas e todos os seres. Dessa dinâmica conjunta e interativa, todas as coisas se formam e se auto-desenham, em mutação constante, gerando toda a ordem e beleza universal.

À luz da limitada capacidade humana de observação e da física quântica, as mudanças acontecem muitas vezes de maneiras imprevisíveis, como os movimentos das galáxias, das nuvens, das ondas do mar, das correntes de magma no centro da terra. Nada é mais misterioso do que a “matéria/energia”, o binômio essencial e irredutível da criação, em transformando constante, gerando tudo quanto existe, da poeira interestelar à inteligência e consciência humana.

Magnífico nas suas manifestações, o Universo inspira a humanidade, fazendo brotar no coração sentimentos de paz, harmonia, respeito, alegria e amor. Reconhecendo nossa unidade com o Universo sendo a divindade, é natural do Panteísmo cultivar sentimentos de reverência, amor, aceitação e respeito para todos os seres assim como cultivar a ética e o desejo de cuidar da Natureza por ser parte dela.

Entre as doutrinas ocidentais, o panteísmo é uma das que mais se aproximam das filosofias orientais como o budismo, o jainismo, o taoismo e o confucionismo.