POEMA SER D’ÁGUA

1
Post Image
Este poema originalmente chamado “mais o menos 70% de mim” é da autoria de LUCAS HOLANDA, escritor pernambucano. Ele nos convida a refletir e agradecer as varias formas da água e seus movimentos no planeta (rio, mar, nuvem, chuva), seus estados (sólidos, líquidos, gazeósos) e sua presença no nosso corpo (tecidos, citoplasma, sangue) relacionando os niveís pois o ser humano é composto de 70% de água, como o planeta. Este tema é central na terapia do som, pois o som se propaga atraves da células dagua de nosso corpo ativando também a memoria de nossos corpos emocionais, mentais e espirituais. Foi escolhido e musicado por Pierre Stocker entrando assim no repertorio do seu novo disco ALKIMA.

“Você, que é maior parte água

e é maior parte chuva, rio e mar

Você, que precisa correr

de dentro de você para outro lugar

Você que maior parte líquida

e é maior parte límpida

como as cascatas deste seu olhar

Você que já chorou os cântaros

de seus desencantos

e já lavou a alma para se refrescar

Você que é maior parte pura

também fez loucura

ao se enamorar

Você que traz na língua orvalho

tem em seu breviário

uma oração pra nunca secar

Você que se dissolve em mangue

leva em seu sangue e em seu citoplasma

uma vã palavra pra sempre pulsar

Você, que já congelou de medo

conhece os segredos

de se transmutar

Você que já se infiltrou no chão

em busca de solução

e sua dissolução foi um eterno retornar

Então,

Você, que é maior parte de mim,

permaneça, enfim,

como quem evapora pra se condensar,

como quem extrapola, no horizonte,

o que é céu e mar,

pois quem é nuvem agora

pode amanhecer como gelo polar

e, assim, sempre aconteceu:

quem nunca derreteu

nem sabe se solidificar”